Viajar é uma delícia. Só vejo vantagens em conhecer lugares novos, se soltar e se divertir.

Mas, imprevistos acontecem!

Embora minha viagem para o Chile tenha sido fantástica, no final tive um probleminha que entrou para o arquivo “experiências de viagem”, ou até melhor… “experiências de vida”!!!!

Vou dar uma pausa nas minhas dicas e sugestões de viagem para contar tudo que aconteceu e como resolvi sozinha!!!

Meu voo de volta para o Brasil era um LATAM marcado para às 7:00 hs da manhã. Portanto combinei com a companhia de táxi me mandar um carro às 4:00hs no hotel. O motorista (argentino) chegou atrasado, às 4:20hs. O que já me deu certa preocupação. Mas ele disse que naquele horário não havia trânsito e chegaríamos rápido. Realmente o aeroporto internacional de Santiago, Arturo Merino Benitez, não é muito longe como Cumbica ou o Ezenza de Buenos Aires, por exemplo. E no Chile tem um detalhe: eles correm muito. Não prestei atenção aos limites de velocidade por lá. Mas pela rapidez de todos meus motoristas, acho que nem existe limite!!!!

Bem. Fomos a caminho do aeroporto. Meu motorista voando (sem trocadilhos). E, num cruzamento, aconteceu o óbvio: ele, apressado por estar atrasado, passou o sinal vermelho (eu vi, mas não falei para a polícia) e bateu. Não me machuquei e nem ele, porém o motorista do outro carro, sim. Fez um escândalo. Nem foi para tudo isso, mas não sei se lá tem algum benefício com seguro. Logo, o drama vale a pena!

Enfim. O Chile, como já disse aqui, parece muito com país do primeiro mundo. Quanto à polícia (carabineros), também. Em menos de 1 minuto já tinham duas viaturas no local. Brotaram do chão, como nos EUA! Incrível.

Lá, obviamente bem diferente do nosso Brasil, não tem “jeitinho”. Expliquei que tinha um voo para pegar, mas não teve como escapar. Disseram que eu era testemunha devido à vítima. Maldito chileno escandaloso! E olha que nem falei do sinal vermelho. Senão estaria lá testemunhando até hoje. Às vezes tem que saber se calar. Quanto menos fala, menos se envolve! Simplesmente falei que estava cochilando!!!!!!

Queriam me levar para a delegacia para depor, mas o motorista explicou no dialeto impronunciável deles que não havia necessidade. Que eu era somente a passageira. Podiam pegar meu depoimento no local. Deu certo! Porém esse imbróglio levou mais de uma hora. O taxista não pode seguir comigo porque ele não tinha seguro e no Chile é obrigatório. Se lascou! Foi chamado outro carro, mas também demorou para chegar.

Resumo da ópera: PERDI O VOO!!!!

O que fazer?

Dica 1: Respira, não surta… Do not panic!

Dica 2: Pensa!

Feito esses dois movimentos básicos, me dirigi até o balcão da LATAM. Fui extremamente bem tratada. A atendente entendeu tudo que falei, me ofereceu uma passagem para o próximo voo. E o valor foi “apenas”US$70. O que, diante das circunstâncias, ficou barato. A companhia aérea não tem culpa.Eu tinha dinheiro de reserva. Outra dica crucial. Sempre que viajar, principalmente sozinho, leve uma reserva em “cash”. Facilita muito!

Fui à casa de câmbio, comprei os dólares. Por um preço da estratosfera, mas não estava em condições de negociar. Resolvi o problema da passagem.

Depois tinha que avisar o Brasil. WI FI do aeroporto, horroroso. Meu chip da Entel já havia retirado e a VIVO não funciona no Chile. Voltei ao balcão da LATAM e, mais uma vez, foram ótimos. Me conectaram no WI FI da empresa. Feitos os comunicados, despachei a mala e fui para a sala de embarque. Fui parar na sala da Polícia Federal Chilena, porque não deixei o país no horário que estava agendado. Eles têm controle de tudo. Se bem que acho que é assim em todos aeroportos do mundo.

Me expliquei num bom portunhol e eles também foram solidários. Me entenderam e liberaram.

Embarquei aliviada. Que história para contar a vida toda. Me impressionei comigo mesma. Minha frieza e serenidade foram inacreditáveis. Sou muito explosiva, mas na hora que me vejo em situação difícil, sei raciocinar. Deveria usar essa experiência no dia a dia!!!!!!!!

Chegando no Brasil, a LATAM deu uma falhada. Eu cheguei, mas minha mala não. Veio dois voos depois.

Ou seja, minha viagem de volta do Chile começou às 4 da manhã e terminou as 23:00hs, quando consegui entrar em casa!

Dava tempo de ir para a Rússia!!!

Na hora foi um sufoco, reconheço. Mas aprendi muito sobre aeroportos, comunicação e, principalmente, sobre mim!!!

Imagem @martinezroe7