Enoturismo… muito mais que vinho!

O turismo, por definição, é o conjunto de atividades que envolvem o deslocamento de pessoas de um lugar para outro. Basicamente isso! 

Mas, para nós viajantes, é muito mais que isso. É mudar sua perspectiva, seus conceitos e a visão do mundo. Quem viaja, aprende!  

E, com esse intuito de aprender, outra teoria ligada ao turismo é dividi-lo por segmentos. Encontrar um objetivo específico à uma viagem só agrega valor. Quer seja ele cultural, gastronômico, religioso, esportivo ou, no meu caso específico, o Enoturismo

Viajei muito. Porém nunca tive um objetivo definido. Embora sempre visitasse museus, catedrais, parques e sempre dei um jeitinho de praticar algum esporte, conhecer a culinária local e tomar um vinhozinho, não posso dizer que meus antigos roteiros tiveram um segmento específico.  

Em todos aprendi algo e trouxe experiência. Porém depois que comecei a segmentar minhas viagens, confesso que elas tomaram outra perspectiva.  

Não digo para viajar e fazer só uma atividade. Seria perda de tempo, dinheiro e oportunidades. Mas, junto a passeios e diversão, usar esse momento livre para se aperfeiçoar em algo que lhe agrada é enriquecedor! 

Sempre fui ligada a vinhos. Tomava, lia, estudava. Mas minhas viagens com intenção de me aprofundar no assunto foram fundamentais. 

Enoturismo tem crescido entre enófilos e os que nem são tanto assim. Essas viagens não se tratam apenas de tomar vinho. Isso se faz em qualquer restaurante. São experiências. A imersão no mundo do vinho traz novos conceitos.  

Várias regiões pelo mundo se desenvolveram motivadas pelo Enoturismo. Em Portugal, a região do Douro e Alentejo têm esse segmento como segunda atividade principal. Só perde para a produção e comércio de seus vinhos. Obviamente! 

O Chile, como produtor de vinho, é o principal país do mundo. Destino obrigatório no segmento do Enoturismo e onde estive recentemente. Assim como o Uruguai! 

E por ai vai… Todos os países produtores de vinho pelo mundo já têm o Enoturismo como atividade econômica importante.  

O Brasil se destaca pelo Rio Grande do Sul. Mas Santa Catarina, interior de São Paulo, sul de Minas Gerais e Vale do Rio São Francisco já estão ocupando posição importante tanto na produção de seus vinhos como sendo roteiro para visitas, estudo e degustação: Enoturismo

Estamos criando nossa identidade própria.  

Great Wine Capitals (GWC) é uma das mais importantes associações mundiais ligadas ao Enoturismo. Ela congrega os maiores centros produtores de vinho no mundo e, segundo seus números divulgados no final de 2019, 20% da receita desses produtores está nesse segmento.   

32% desses grandes produtores consideram a venda direta na vinícola seu canal mais importante. 

Portanto, os números são significativos. Geram empregos, recursos, desenvolvimento e conhecimento. 

E, para quem acha que o Enoturismo se trata de um segmento com público específico, ainda de acordo com as pesquisas, nos últimos 5 anos o número de jovens visitando vinícolas subiu de 13% para 25%!!!! 

Quantos número positivos! Deu até sede…. hora de tomar um vinho, refletir sobre todo esse quadro promissor e planejar os próximos ENOROTEIROS!!!! VAMOS??????? 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.